JS Madeira com Congresso Regional nos dias 12 e 13 de junho no Porto Santo

JS Madeira com Congresso Regional nos dias 12 e 13 de junho no Porto Santo

A Comissão Regional da Juventude Socialista Madeira aprovou o Congresso Regional da estrutura para os dias 12 e 13 de junho no Porto Santo. João Melim, do Porto Santo, foi eleito presidente da Comissão Organizadora do Congresso, juntamente com Sara Silva, de São Vicente, e como vice-presidente, Carolina Perestrelo, de Santa Cruz, Diogo Viveiros, de Machico, e Miguel Rodrigues, do Porto Moniz.

Segundo o Presidente da Comissão Regional, Idílio Marçal, a estrutura foi unanime na escolha do local, data e forma presencial do Congresso. “A COVID-19 trouxe muitos condicionamentos à nossa sociedade e à nossa estrutura não foi diferente. Em situação normal teríamos realizado o Congresso no mês de setembro do ano passado, como inicialmente previsto, mas devido aos constrangimentos da pandemia, e do Congresso do PS-M, realizado no mês de setembro, obrigou ao adiamento do Congresso, não só por causa do agravar da situação pandémica, mas também pelo desejo da estrutura por um Congresso presencial.” Idílio Marçal lembra que, apesar dos constrangimentos, a estrutura sempre foi unanime nesta questão e, felizmente, não parou, apesar das exigências e dificuldades. A JS Madeira manteve a sua dinâmica e o seu trabalho, quer com os seus deputados eleitos, Marina Barbosa na ALRAM, e Olavo Câmara na Assembleia da República, quer com ações regionais e locais, e mais recentemente com a organização interna; a eleição dos coordenadores regionais das estruturas autónomas e das próprias concelhias, que em muitos anos, e depois de muitos presidentes da estrutura, não acontecia”. Idílio Marçal aponta que este é um mérito do Presidente da estrutura, Olavo Câmara, pela forma como a liderou nos últimos anos, “fez crescer e criou uma verdadeira estrutura representativa da nossa sociedade e do nosso território, o que não acontecia quando tomou posse. Temos de dar o mérito e reconhecer a capacidade mobilizadora que Olavo Câmara acrescentou à estrutura, não só pela forma com que ele a liderou, mas pela forma como sai: a casa está arrumada, estruturada e organizada para transição já esperada, devido ao limite de idade e mandatos, o que só vem facilitar o passar da pasta e os novos órgãos que saíram do congresso.”

Olavo Câmara, atual presidente da JS Madeira, e que não pode ser recandidato, por limite de idade e de mandatos, lembra que a estrutura está organizada para o seu próximo ciclo e que até ao Congresso ainda existem outras ações delineadas na estrutura e de ação política.
Olavo Câmara destaca o facto de o congresso ser feito no Porto Santo, “uma dinâmica descentralizadora da estrutura implementada nos meus mandatos, que depois do Congresso no Funchal em 2014, tivemos pela primeira vez um Congresso Regional na costa norte da Madeira, no Porto Moniz, em 2016, e depois em 2018, em Machico, e agora no Porto Santo. Uma das minhas marcas foi criar uma estrutura regional, com representação geográfica em todos os concelhos e com ação em toda a ilha. É um marco do nosso mandato e uma mensagem que queremos deixar, como olhamos para a nossa ilha, para o desenvolvimento e consolidar da nossa estrutura”.
O jovem deputado na Assembleia da República lembra também a forma como a estrutura cresceu e como os anteriores Congressos foram demonstrativos desse crescimento. “No primeiro Congresso, em que fui eleito, tivemos um bom congresso, dois anos depois enchemos o Multiusos do Porto Moniz e 4 anos depois enchemos uma sala maior, no fórum Machico, com grande participação dos jovens militantes”.

João Melim, que tem a responsabilidade de organizar o Congresso, aponta que haverá limitações óbvias devido aos constrangimentos da pandemia. “A principal será a limitação a 60 congressistas numa sala para mais de 260 pessoas, no sentido de respeitar os afastamentos recomendados. Todos os congressistas serão testados antes do evento, como salvaguarda dos participantes e da própria população, e o evento respeitará todas as recomendações públicas das autoridades de saúde regionais”.

CRÉDITOS:
Autor: JM Madeira
Foto: https://www.jm-madeira.pt/